Home » Política » Delação: empresa que seria de Pinheiro, embolsou R$ 282 milhões em contratos com o governo da Bahia
- Atualizado em 15/10/21 às 09h40

Delação: empresa que seria de Pinheiro, embolsou R$ 282 milhões em contratos com o governo da Bahia

Informação consta na delação da desembargadora Sandra Inês e Vasco Rusciolelli

Foto: Divulgação

Redação
A Pejota Construções e Terraplanagem embolsou mais de R$ 282,74 milhões com o governo da Bahia desde 2017. A empresa é apontada na delação da desembargadora Sandra Inês e Vasco Rusciolelli como do ex-secretário de Planejamento Walter Pinheiro. As informações são do Bahia Notícias.

A construtora foi responsável por grandes obras estruturantes em todo a Bahia, a exemplo da ampliação do setor norte do sistema de abastecimento de água de Feira de Santana e de diversas contenções de encostas nos bairros de Salvador. Oficialmente, apenas dois nomes constam no quadro de sócios da construtora “PJ Construções e Terraplanagem LTDA”: Maria Margarete Araujo Oliveira e Pedro de Araujo.

Conforme a reportagem, o Portal da Transparência mostra que durante as gestões do então secretário, um montante de R$ 232,51 milhões foram transferidos do Estado para a Pejota.

O ex-secretário Pinheiro assumiu a Secretaria de Educação (SEC), entre junho de 2016 e abril de 2018, e ocupou a cadeira da Secretaria de Planejamento (Seplan), entre fevereiro de 2019 e maio de 2021.

De acordo com a delação, o genro de Pinheiro, Marcelo Ayres , foi o operador da compra de uma decisão favorável à empresa, quem tem Pinheiro como suposto sócio oculto, e a desembargadora Sandra Inês teria concedido mediante o pagamento de R$ 25 mil como propina.

A decisão liminar de Inês que privilegiava a Pejota foi cassada após uma nova oferta, no entanto, foi da MAF Projetos e Obras. Conforme os depoimentos da delação, os operadores da empresa, Julio Cavalcanti e Rui Barata, pagaram R$ 150 mil pela reconsideração.

Sobre a empresa e outros contrato

A empresa é ativa desde 1999 e consta no banco de dados da Receita Federal como obras de engenharia, locação de máquinas e equipamentos, coleta de resíduos não perigosos e fabricação de objetos pré-moldados.

A Pejota possui contratos fechados nos últimos anos com prefeituras da Região Metropolitana de Salvador (RMS), como Lauro de Freitas e Camaçari. Em Salvador, foi responsável pela requalificação da Praça do Terreiro de Jesus, no Pelourinho, a construção da nova Orla da Boca do Rio e intervenções viárias em vias no Jardim dos Namorados e no Iguatemi.

Entre os contratos com a Prefeitura de Lauro de Freitas, está o maior deles, no valor de R$ 5.375.470,64, sobre a execução de obras de macrodrenagem e qualificaçãono município em 2020. Em Camaçari, o contrato mais lucrativo foi uma obra de pavimentação e requalificação de vias por meio de um programa de mobilidade urbana, em 2016, que custou R$ 17.738.754,76 milhões.

Ainda no município, está em vigor um contrato para a requalificação de pavimento em vias da sede e dos distritos de Abrantes e Monte Gordo, no qual R$ 13,3 milhões foram destinados. O prazo para a finalização da obra é dezembro deste ano.



COMENTÁRIOS
RELACIONADAS