Home » Política » “Não me preocupa a presença de Lula no 2 de Julho” declara Neto
- Atualizado em 22/06/22 às 10h57

“Não me preocupa a presença de Lula no 2 de Julho” declara Neto

A possibilidade de os presidenciáveis Ciro Gomes (PDT) e Jair Bolsonaro (PL) comparecerem ao evento

Foto: Reprodução

Redação

Na última terça-feira (21), o pré-candidato ao governo da Bahia, ACM Neto (União Brasil), disse que não está preocupado com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no 2 de Julho, festa que se comemora a Independência da Bahia.

“Não me preocupa de maneira alguma. Primeiro, porque o 2 de Julho é a festa maior da democracia baiana. É o momento em que todos os grupos políticos estão nas ruas para ver o povo, para abraçar o povo. É uma tradição que a gente teve que interromper em função da pandemia, e que agora é possível ser retomada. E a gente sabe que aquele é um espaço democrático, de A a Z, da extrema-direita e a extrema-esquerda”, declarou ACM Neto, em entrevista à rádio CBN Salvador.

A possibilidade de os presidenciáveis Ciro Gomes (PDT) e Jair Bolsonaro (PL) comparecerem ao evento, além de Lula.

Neto disse que seria “ótimo”, para ele, se os três estivessem no festejo. “Uma coisa bem emblemática vai ficar clara. Aqui na Bahia fica esse pingue-pongue. O PT querendo me encostar em Bolsonaro. A turma de Bolsonaro querendo me encostar em Lula. E, na verdade, eu, neste momento, não estou encostado em nenhum dos dois. Eu estou encostado no povo baiano, e a minha aliança é com os baianos.

“O meu grande padrinho político nessa história são os baianos. Os demais pré-candidatos falam muito mais dos seus padrinhos do que de si próprios. (…) Acontecendo dos três principais candidatos que hoje lideram a pesquisa estarem aqui simultaneamente no 2 de julho vai ser ótimo. Vai acabar esse tititi. Ninguém vai poder dizer que Neto é fulano, e beltrano. Vai tá lá uma turma com Lula, uma turma com Bolsonaro, outra com Ciro, e eu vou estar com o povo”, acrescentou.

Neto voltou a falar sobre o rompimento com o ex-ministro da Cidadania, João Roma (PL). Segundo o ex-prefeito, ele soube que Roma aceitou o convite de Bolsonaro para ser ministro por meio do jornalista da GloboNews, Gerson Camarotti, que enviou para ele a publicação da nomeação no Diário Oficial. 

“Ele se comprometeu comigo que não seria. E eu fui informado da nomeação dele através de uma mensagem de WhatsApp mandada por Gerson Camarotti, jornalista da GloboNews. Que não deixará jamais mentir isso perguntando o que achei da nomeação. Aí eu: ‘que nomeação?’. Aí ele me manda a cópia do Diário Oficial da União com a nomeação de João Roma. Um cara que eu tinha 20 anos de relação, e que eu sequer fui por ele avisado”, disse ACM Neto.

O pré-candidato disse que, caso seja eleito, irá constituir um grupo de trabalho para reavaliar todo o projeto e os custos da obra da Ponte Salvador-Itaparica. E ainda que considera “uma piada tudo o que o PT fez esse tempo todo, dizendo que ia inaugurar a ponte em 2013”. “Gastaram muito dinheiro em relação à ponte, com estudos, com criação do projeto, com tudo isso, e está aí tudo parado. Quem prometeu entregar a ponte em 2013 foi Jaques Wagner. Quem fez propaganda da ponte esse tempo todo, inclusive botando outdoor na cidade, foram Jaques Wagner e Rui Costa”, disse o ex-prefeito de Salvador.

No V Notícias, você fica sabendo de tudo! Siga o portal no Google Notícias e receba todos os destaques do dia.

Tópicos:
Link:


COMENTÁRIOS
RELACIONADAS