Home » Política » Operação Faroeste: Gesivaldo Britto é aposentado compulsoriamente de suas funções
- Atualizado em 14/10/21 às 09h00

Operação Faroeste: Gesivaldo Britto é aposentado compulsoriamente de suas funções

A Corte Especial do (STJ) confirmou por unanimidade, em setembro deste ano, a prorrogação do afastamento cautelar do desembargador

Foto: divulgação/TJ-BA

Redação
Um dos réus na ação penal referente à Operação Faroeste, e ex-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), Gesivaldo Britto, foi compulsoriamente aposentado de suas funções.

O decreto foi publicado na edição desta quinta-feira (14) do Diário de Justiça Eletrônico e foi assinado por Lourival Trindade, sucessor de Britto no comando da corte.

Gesivaldo foi afastado do cargo de presidente do TJ-BA no ano de 2019. O desembargador foi investigado na operação que apura um esquema de venda de sentenças no Judiciário baiano, que envolvia juízes, advogados e desembargadores. A ação aconteceu na primeira fase da Operação Faroeste.

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou por unanimidade, em setembro deste ano, a prorrogação do afastamento cautelar do desembargador aposentado.

Entretanto, Britto tentou reverter a situação na justiça. Em agosto deste ano, Edson Fachin, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), negou embargos de declaração interpostos pela defesa do ex-presidente.

Leia também:

CPI muda depoente e se prepara para apreciação do relatório final

PP pode sair da base do governo na Bahia com filiação de Bolsonaro



COMENTÁRIOS
RELACIONADAS